Posts Tagged ‘produção mundial vinhos’

O destino das uvas

5 de Fevereiro de 2016

Quando pensamos em vinho, não nos atentamos ao produto original chamado uva. Pois bem, como o planeta trabalha este produto e seus diversos fins na agricultura e consumo? Veja quadro abaixo, num estudo idôneo elaborado pela OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho).

produção mundial 2015

Esquema Mundial

Temos um vinhedo mundial com aproximadamente sete milhões e quinhentos mil hectares de vinhas (7573 mha). Neste vinhedo é gerada uma produção de setecentos e trinta e seis milhões de quintais de uva (736 Mqx). Só para saber, um quintal (medida antiga) é equivalente a cem quilos. Portanto, fazendo as contas, temos um rendimento médio mundial de aproximadamente nove mil e setecentos quilos de uva por hectare (97 ql/ha). Evidentemente, um número muito acima para vinhos de qualidade, por exemplo.

areas de vinhas

As cinco maiores áreas de vinhas

Efetivamente, trabalha-se com setecentos milhões de quintais de uva (699 Mqx), pois cerca de trinta e sete milhões são desperdiçados no processo (uvas inadequadas, podridão, perdas na colheita, etc …).

Continuando no esquema, quatrocentos milhões de quintais  (399 Mqx) são destinados à produção de vinhos e sucos, sendo 358 Mqx para vinhos e o restante para sucos. O volume mundial de vinhos gira em torno de 270 Mhl (duzentos e setenta milhões de hectolitros). Isso transformado em garrafas, nos dá um número astronômico de 36 bilhões de garrafas por ano. Pouco menos de seis garrafas por ano para cada habitante do planeta. Ainda bem que estamos acima da média. Eu, pelo menos …

É importante notar que as uvas são computadas em peso. Já o mosto de uvas e o próprio vinho são computados em volume. Nesta conversão existe uma perda natural, ou seja, precisamos em média de 1,3 Kg (um quilo e trezentos gramas) de uvas para produzir um litro de vinho. Neste processo, após espremermos as uvas, o peso da engaço (estrutura ramificada que dá sustentação aos grãos de uva), das cascas, do bagaço, e das sementes, são descartados. Conforme esquema, 358 Mqx de uvas geram 270 hectolitros de vinho.

O restante da produção mundial (300 Mqx), trezentos milhões de quintais, são destinados ao consumo in natura de uvas frescas, e uma pequena parte, de uvas passas. Respectivamente, 248 Mqx (frescas) e 52 Mqx (passas). Lembrando que precisamos de 4 Kg de uvas frescas para fazer 1 Kg de uvas passas. Daí, o preço bem maior do produto.

vinhos e uvas

utilização da uva no mundo (2000 a 2014)

Em resumo, aproximadamente pouco mais da metade das uvas (55%) do planeta são destinadas para o vinho, 35% para consumo de uvas de mesa, e o restante, entre sucos e uvas passas. Se levarmos em conta o rendimento para se fazer uvas passas, em peso efetivamente, a produção mundial não chega a dois por cento (2%).

Os cinco primeiros países na produção de uvas para consumo in natura (uvas frescas) são: China, Índia, Turquia, Irã e Itália. Só a China produz mais do que todos os outros quatro concorrentes juntos. São quase 85 Mqx (milhões de quintais) dos 247 Mqx do mundo.

Outra observação do gráfico acima é o acréscimo de consumo de uva in natura e o consequente decréscimo na produção de suco em termos mundiais. Entretanto, a indústria de suco de uva no Brasil atualmente vai de vento em popa. Um mercado em expansão e com forte caráter para a exportação.

Só para completar, os espumantes responde por cerca de 7% (sete por cento) da produção mundial de vinhos, enquanto os vinhos rosés giram em torno de 8% da produção mundial.

OIV: Últimas Tendências em 2014

28 de Julho de 2014

Os últimos números da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) foram mostrados na conferência da entidade em Paris no mês de maio de 2014. Evidentemente, não são ainda números definitivos, mas muito próximos da realidade. A produção mundial de vinhos que vem caindo ao longo do tempo nos tradicionais países europeus não é novidade para ninguém. Entretanto, a Espanha (tradicionalmente como terceiro produtor mundial) surpreende com sua crescente produção, ocupando pela primeira vez a segunda posição num empate técnico com a Itália (44,7 milhões de hectolitros anuais contra 44,9 milhões da Itália).

Quanto ao consumo mundial, cinquenta por cento dele está concentrado em cinco países: 12% França, 12% Estados Unidos, 9% Itália, 9% Alemanha e 7% China. As tendências de queda ficam por conta de Espanha e Itália, enquanto as maiores altas estão concentradas em China e Austrália.

O comércio mundial de vinhos soma cifras de mais de 25 bilhões de euros e volume de quase 10 bilhões de litros de vinho. Esses números são divididos em espumantes, demais vinhos em garrafa, e em embalagens superiores a dois litros, conforme quadro abaixo:

OIV comercio 2014Espumantes: valor agregado alto

Nas exportações, o trio de ferro (França, Itália e Espanha) lidera o ranking como sempre. Austrália e Chile puxam a fila com uma briga ferrenha nos últimos anos. Estados Unidos e Alemanha, além de serem grandes importadores de vinho, disputam palmo a palmo a quinta e sexta posições na tabela.

Quanto às importações, treze países somam mais de 75% do total importado em valores e volumes. Tradicionalmente, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha estão na ponta. Em seguida, Canadá, China e Japão formam mais um trio de respeito, conforme quadro abaixo:

OIV importação 2014

Rússia em grande ascensão

Os maiores grupos importadores continuam sendo europeus com mais de cinquenta por cento dos valores globais. Em seguida, vêm os grupos americanos, seguidos de perto pelos asiáticos, perfazendo um total de quase quarenta por cento. América do Sul, Oceania e África, completam o quadro com participações bem modestas.

Lembrete: Vinho Sem Segredo na Radio Bandeirantes (FM 90,9) às terças e quintas-feiras. Pela manhã, no programa Manhã Bandeirantes e à tarde, no Jornal em Três Tempos.

Os últimos dados da OIV em 2011

19 de Julho de 2012

Segundo dados da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) no último congresso na Turquia, os números de 2011 para a vitivinicultura mundial são os seguintes:

Os principais países europeus na última década diminuiram suas áreas de vinhedos, conforme gráfica acima. É a menor área de vinhedos desde o ano 2000, perfazendo um total de 7.585.ooo hectares. A Espanha hoje, possui pouco mais de um milhão de hectares, número este que já foi superior a um milhão e trezentos mil hectares. Contudo, o Novo Mundo mantem um ritmo de crescimento, com atenção especial à Nova Zelândia. Este país, que já foi modelo para vinhos surpreendentes, sobretudo o famoso Sauvignon Blanc, mostra grande expansão de área cultivada, compremetendo seriamente a noção de terroir, com muitos vinhos atualmente diluídos.

 Quanto à produção de uvas frescas (consumo in natura), a China deu um salto monumental, com mais de sessenta milhões de quintais produzidos (um quintal equivale a 100 quilos), bem acima de seus concorrentes como Índia, Turquia, Iran e Itália.

 Na produção mundial de vinhos, os cinco primeiros países permanecem inalterados; França, Itália, Espanha, Estados Unidos e Argentina. Mas olha aí a China chegando gente! Já é o sexto produtor mundial, superando países como Austrália, Chile, África do Sul e Alemanha. Hoje a produção mundial de vinhos gira em torno de 265 milhões de hectolitros, com França e Itália perfazendo um terço desta produção.

No consumo mundial de vinhos, a França ainda lidera, bastante incomodada com os Estados Unidos. Da mesma forma, Itália e Alemanha sentem a força da China, chegando forte em quinto lugar.

 Nas exportações mundiais em termos de volume, a Itália como sempre segue absoluta. A Espanha toma o segundo lugar da França, num salto extremamente expressivo. Austrália e Chile, sempre na briga ferrenha pela quarta colocação.

Maiores informações: OIV (www.oiv.org)

Panorama Vitivinícola Mundial: Parte I

22 de Agosto de 2011

Segundo assembléia da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) realizada em junho de 2011 na cidade do Porto (Foz do rio Douro), os principais países vinhateiros europeus continuam dando as cartas nos números globais, embora com tendências novamente confirmadas de desaceleração lenta e gradual, buscando uma estabilização. Os números ainda não são oficiais, já que os mais recentes publicados no próprio site da entidade são de 2007. Para consultar, basta clicar em www.oiv.org

Superfície de Vinhedos

Com exceção da Europa, os demais continentes apresentam acréscimos moderados mas significativos, somando pouco mais de sete milhões e meio de hectares em todo o mundo.

 Os doze principais países em milhares de hectares

As barras em azul apontam uma tendência de decréscimo, enquanto em amarelo, uma tendência de expansão. A Espanha diminuiu bem sua área de vinhas, abaixo de um milhão e cem mil hectares. Notem que o destaque para a Turquía é devido à grande produção de uva passa. Já a China, produz grande quantidade de uva para consumo in natura e também na produção de vinhos. 

Produção de Uvas   

A Itália continua na liderança baseada na produção de vinhos e uvas in natura. Os Estados Unidos, além da producão de vinhos, têm grande destaque em uvas passas. Já o Chile, tem tradição na produção de uvas in natura (frutas de um modo geral) e também na produção de vinhos.

   Principais países em produção de uvas

Os números são expressos em milhões de quintais. Quintal é uma unidade de peso equivalente a 100 kg (quilogramas).

Produção de Vinhos

Os cinco principais produtores de vinhos permanecem inalterados em suas posições, apenas com França e Itália alternando a liderança em determinados anos. A expansão da China e Argentina é notável.

Os doze maiores produtores de vinho

A produção mundial de vinhos em 2010 aponta para um número próximo de 264 milhões de hectolitros, sendo que França e Itália respondem por cerca de um terço dos vinhos produzidos no planeta.

Próximo post, falaremos sobre consumo, importação e exportação mundial de vinhos, com os números mais recentes.

Tendências na vitivinicultura mundial

14 de Fevereiro de 2011

A organização mundial da vinha e do vinho (OIV) divulga periodicamente dados concretos sobre o cultivo da vinha e a produção de vinho em termos globais. No entanto, esses dados são cuidadosamente compilados e divulgados com certa defasagem para um mundo atualmente on-line. Tanto é verdade, que os últimos dados oficiais são do ano de 2007 (www.oiv.org).

De acordo com a última assembléia realizada em 2010 na cidade de Tbilissi (Georgia), seguem abaixo as últimas tendências mundiais no que tange aos números do vinho:

Superfície de Vinhedos

  1. Espanha – 1.113.000 ha (hectare)
  2. França – 840.000 ha
  3. Itália – 818.000 ha
  4. Turquia – 505.000 ha
  5. China – 470.000 ha

Os três primeiros colocados sem grandes novidades, com tendência de queda nos próximos anos. Os vinhedos na Turquia são destinados sobretudo à produção de uvas passas. Já a poderosa China, tem seus vinhedos em franca expansão, principalmente para consumo de uvas in natura.

Produção Mundial de Uvas

  1. Itália – 81.500.000 quintais (um quintal = 100 kg)
  2. China – 72.000.000 quintais
  3. Estados Unidos – 63.800.000 quintais
  4. França – 61.800.000 quintais
  5. Espanha – 55.400.000 quintais

Novamente, a produção dos europeus com tendência decrescente. Estados Unidos e China em expansão. A produção de uvas passas nos Estados Unidos tradicionalmente é bastante significativa, com Turquia e Iran sendo seus fortes concorrentes.

Nota: os dados acima referem-se à produção de uvas para outros fins, além do vinho (consumo in natura, uvas passas, sucos, …)

Produção Mundial de Vinhos

  1. Itália – 47.700.000 hl (um hectolitro = 100 litros)
  2. França – 45.600.000 hl
  3. Espanha – 35.200.000 hl
  4. Estados Unidos – 20.600.000 hl
  5. Argentina – 12.100.000 hl

Sem grandes novidades. Itália e França revesam-se no primeiro lugar. Espanha e Estados Unidos são eternos terceiro e quarto lugares, respectivamente. Argentina está correndo sério risco de perder seu posto de quinto lugar para China ou Austrália.

Itália: uma potência na produção de uvas e vinhos

 

Consumo Mundial de Vinhos

  1. França – 29.900.000 hl
  2. Estados Unidos – 27.300.000 hl
  3. Itália – 24.500.000 hl
  4. Alemanha – 20.300.000 hl
  5. China – 14.000.000 hl

Os quatro primeiros colocados com tendência de estabilização ou decréscimo. A China em franca expansão.

Exportação Mundial de Vinhos

  1. Itália – 18.600.000 hl
  2. Espanha – 14.400.000 hl
  3. França – 12.500.000 hl
  4. Austrália – 7.700.000 hl
  5. Chile – 6.900.000 hl

Itália é o grande exportador mundial em volume. A briga entre Austrália e Chile promete acirrar-se cada vez mais.

Importação Mundial de Vinhos

  1. Alemanha – 14.100.000 hl
  2. Reino Unido – 11.900.000 hl
  3. Estados Unidos – 9.200.000 hl
  4. França – 5.900.000 hl
  5. Rússia – 4.500.000 hl

Os três primeiros colocados com alto poder aquisitivo estão sempre no topo. Rússia, cada vez mais com sede.

De um modo geral, a tendência em diminuir a superfície de vinhedos, principalmente os destinados à produção de vinhos, consolida-se cada vez mais. O mundo quer beber menos e melhor. Portanto, a qualidade média dos vinhos em termos globais tem melhorado, a despeito de uma certa padronização. Vinhos diferenciados têm seu custo ligado à baixa produtividade.

É melhor beber uma boa garrafa do que três mais ou menos, pelo mesmo preço. A saúde também agradece.


%d bloggers like this: