Parte I: Entre goles e amigos!


Quando juntamos bons vinhos, boa comida e boa conversa, tudo fica sublime. Mais um encontro memorável entre amigos num ambiente deslumbrante. Os preparativos já davam o tom do evento; bateria de decanters, cavaletes para os vinhos de “garrafão” (double Magnum, imperial, jeroboam, …), uma profusão de taças, acessórios, e sommeliers experientes para o cenário.

mais de vinte pessoas à mesa

De início, muitas garrafas antigas a serem abertas e decantadas. Vinhos com mais de vinte anos de safra merecem cuidados especiais na abertura, normalmente com lâminas paralelas. Em Double Magnum e Imperiais a retirada das rolhas exige destreza, pois o diâmetro do gargalo foge dos padrões normais. Brancos e champagnes, devidamente abertos e devidamente resfriados. Importante dizer que brancos e champagnes especiais não convém gela-los demais. Temperaturas entre 10 e 12°C são as ideais.

lugares marcados

O serviço à mesa numa sucessão de pratos foi muito bem executado com troca de talheres precisa e pratos servidos à temperatura correta. A apresentação e execução dos mesmos também merecem destaque. A sucessão de vinhos muito bem coordenada e servidos com sincronismo prato a prato.

O tinto que encantou os convivas

De modo geral, o belo margem direita, Vieux Château Certan 1986 estava em seu esplendor. Algumas horas de decantação fizerem bem em sua apresentação, despertando seus belos aromas e maciez em boca notáveis. Falaremos com mais detalhes a seguir.

Imperial de Corton-Charlemagne decantado

Outro vinho que se beneficiou da decantação foi o estupendo branco Corton-Charlemagne. Apesar de seus quase dez anos, mostrou-se ainda muito novo, fresco, com total domínio dos aromas primários. Vai evoluir por muitos anos, certamente.

Bateria de Yquem 1976

O vinho acima trata-se de uma das melhores safras de Yquem. Embora encontrando-se num bom platô de evolução, seus aromas e sabores ainda não estão plenamente desenvolvidos, mas é um branco de raro prazer. Mais surpresas estão reservadas com o devido tempo em adega.

Além de tudo, muito gastronômica

Feitas as apresentações e preliminares, vamos ao almoço em si. O inicio perfeito começa com uma bela tulipa de champagne. E que champagne! Simplesmente  La Grande Dame Rosé 1990 em garrafa double Magnum. O que impressiona neste champagne é seu incrível fresco e mousse abundante após vinte e cinco anos de safra. Isso prova a boa guarda em adega e o poder de conservação das garrafas maiores. Muito fresco, estimulante, aguçando as papilas para o que viria a seguir. Quer saber mais?

Veja o próximo artigo.

Etiquetas: , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: