Vinhos da Suíça: Parte III


Voltando ao nosso mapa abaixo, veremos a seguir as regiões de Vaud e Genève ou Genebra.

Regiões próximas ao lago Léman

Vaud

A região de Vaud ao longo do lago Léman apresenta solos extremamente variados como argila, calcário, granito, vários minerais, areia, de origem glacial e aluvial. O clima é regulado pelo próprio lago amenizando temperaturas extremas tanto no verão, como no inverno. As altitudes variam entre 375 e 700 metros.

Os vinhos brancos estão calcados na uva Chasselas, emblemática na região, sob várias denominações em Chablais, La Côte, Lavaux e Nord Vaudois. Os delicados espumantes são elaborados com Pinot Noir, Chardonnay e novamente a Chasselas. Outras uvas como Riesling x Sylvaner (Müller-Thurgau) e Pinot Gris elaboram varietais em pequenas quantidades. A Chasselas responde por cerca de 63% na produção de vinhos brancos de Vaud.

Para os tintos, as uvas Pinot Noir e Gamay roubam a cena. São vinhos delicados, às vezes com as duas uvas da denominação Pinot-Gamay. Os rosés e até brancos fazem parte deste assemblage (mistura). Um rosé específico denominado Oeil-de-Perdrix é feito somente com a Pinot Noir.

Fazendo um parêntese na sub-região de Lavaux, situada entre as cidades de Lausanne e Montreux, existem dois vinhedos Grand Cru com as denominações Dézaley e Calamin que elaboram brancos singulares com a casta Chasselas. À beira do lago Léman, seus terraços com forte inclinação, solos e temperaturas diferenciados, propiciam um microclima distinto. As origens dessas terras remontam à idade média cultivadas por monges cistercienses. Outro diferencial é o forte adensamento das vinhas entre 9000 e 12000 pés/hectare, proporcionando naturalmente rendimentos muito baixos e uvas de alta concentração de aromas e sabores a serem desenvolvidos.

Dézaley: Inclinação impressionante dos vinhedos

Chasselas Grand Cru

Antes de passarmos à próxima região, vale abrir um parêntese ao produtor Marie Thérèze Cappaz, especialista nos chamados vinhos doces de colheita tardia, muitas vezes botrytisados. Pertence à sub-região do Valais, vista em artigo anterior, onde uvas locais como Petite Arvine são esplendidamente trabalhadas em todo seu potencial.

Genève ou Genebra

Esta é uma sub-região bem ao sul do lago Léman, fazendo divisa com o lado francês do Jura. O índice pluviométrico anual é relativamente baixo para padrões suíços e a insolação de certo modo surpreendente, em torno de quase duas mil horas anuais. Os solos são argilo-calcários e em alguns setores, pedregosos. A predominância do calcário em certos casos fornece um toque mineral à cepa branca principal, a Chasselas. Outros brancos baseados nas castas Chardonnay, Aligoté, Pinot Gris e Pinot Blanc vêm ganhando destaque. Os vinhos espumantes são delicados e calcados nas uvas Chardonnay e Pinot Noir. Já para os rosés e tintos, a Gamay é a uva predominante, tendo como coadjuvante a nobre Pinot Noir.

Lembrete: Vinho Sem Segredo na Radio Bandeirantes (FM 90,9) às terças e quintas-feiras. Pela manhã, no programa Manhã Bandeirantes e à tarde, no Jornal em Três Tempos.

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: