Mendoza: Regiões


Guardada as devidas proporções, Mendoza está para a Argentina, assim como Califórnia está para os Estados Unidos. Região de grande produção e qualidade, acima da média das demais. Entretanto, foi-se o tempo em que vinhos de Mendoza eram um só pacote. A área está dividida em sub-regiões entre as quais, três destacam-se no cenário abaixo ilustrado: Região Leste, Região Central e Valle de Uco.

map-regions

Mendoza: fatores de solo e altitude

O clima mendocino é explicado com o esquema abaixo, mostrando a insolação eficiente, o baixo índice pluviométrico e a compensação da altitude. Aliás, artigos anteriores deste blog tratam de Chile e Argentina sob os títulos: Terroir Chileno e Terroir Mendocino.

Lluvias Anuales

Mendoza: região seca, quase desértica

Voltando ao primeiro mapa, vemos a cordilheira dos Andes ao fundo. Das três zonas mais nobres de Mendoza, a zona Leste, mais longe da cordilheira e com menor altitude média é a mais produtiva, elaborando vinhos bastante frutados, macios, mas sem grande complexidade. Os departamentos desta zona que podem estar mencionados nos rótulos dos vinhos ou em suas respectivas fichas técnicas são: Rivadavia, San Martín, La Paz e Santa Rosa.

Na chamada zona Central de Mendoza, mais próxima à cordilheira e com maior altitude média, temos os famosos departamentos de Luján de Cuyo e Maipú. Os solos são mais pobres e pedregosos e com boa área plantada de vinhas antigas. Enquanto aqui podemos ter altitudes de mil metros, na zona Leste não passa de setecentos metros em relação ao nível do mar.

Mendoza: Supremacia na produção argentina

Ao sul da zona Central e com vinhedos mais próximos à cordilheira, chegamos à nobre zona do Valle de Uco com departamentos famosos como Tupungato, Tunuyán e San Carlos. Aqui estamos falando em altitudes de mil e duzentos metros ou mais. O clima é mais fresco e as noites são mais frias, proporcionando alto nível de acidez nas uvas. A maturação das uvas tintas é lenta, fornecendo uma bela estrutura fenólica (taninos e antocianos). Os solos são bastante pobres, bem drenados e com alto teor de pedras.

Além da diferenciada altitude entre estas três zonas principais, os solos têm papel fundamental na qualidade e concentração das uvas. Na zona Leste, os solos apresentam tendência arenosa, certa salinidade e pouco material pedregoso. Na chamada zona Central ou zona Alta do rio Mendoza, temos solos franco-argilosos com grande proporção de material pedregoso (canto rodado ou pedras arredondadas) de grande capacidade de drenagem. Por último, Valle de Uco apresenta solos com areia grossa, limo (solo com granulosidade entre areia e argila) e grande quantidade de pedras, proporcionando excelente drenagem.

As chamadas zonas Norte e Sul, fora do mapa inicial, não merecem um estudo mais detalhado. São áreas com solos impróprios, altitudes e temperaturas inadequadas para uvas de grande qualidade e concentração.

Anúncios

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: