África do Sul: Parte V


Neste último post, abordaremos mais alguns distritos e regiões importantes, principalmente no que diz respeito à produção, desenvolvimento e expansão dos vinhedos sul-africanos. Olifants River e Klein Karoo são regiões em desenvolvimento, respectivamente, a noroeste e a leste do mapa abaixo. Olifants River é fonte de brancos à base de Chenin Blanc e Colombard. Em certos locais de altitude seus vinhedos podem surpreender com bons exemplares, inclusive com a internacional Sauvignon Blanc. Já Klein Karoo é uma região bem mais árida, especializada na produção de vinhos fortificados, uma modalidade sul-africana.  Uvas como Tinta Barroca e Touriga Nacional, típicas da região portuguesa do Douro, são base para bons exemplares dos falsos Portos no bom sentido da palavra. Os moscatéis também cultivados e elaborados na região apresentam certo destaque.

Coastal Region: A grande região sul-africana

Por último, mais alguns distritos importantes e ainda não mencionados da região de Coastal Region. Swartland, Darling, Tulbagh e Tygerberg são distritos que nos últimos tempos vêm ganhando certo destaque, localizados a norte e a oeste dos famosos distritos de Stellenbosch e Paarl. São terroirs de bom potencial que lentamente mostram vinhos cada vez mais bem elaborados. Em Swartland por exemplo, temos a vinícola Spice Route como símbolo de modernidade, pesquisa e procura por terroirs diferenciados. Seus vinhos são trazidos pela importadora Ravin (www.ravin.com.br).

Como último esclarecimento, os distritos de Wellington e Franschhoek Valley abordados neste série de artigos, foram comentados como fazendo parte do distrito de Paarl. Oficialmente, eles têm vida própria embora na prática, estejam integrados ao belo terroir de Paarl.

Ao longo desta série de posts, usamos muito a nomenclatura oficial da região, procurando diferenciar os nomes: regiões, distritos e wards. Regiões são áreas maiores englobando alguns distritos. Estes por sua vez, podem eventualmente englobar algumas wards, sendo estas as menores porções diferenciadas dentro do nobre conceito de terroir.

Selo oficial dos vinhos sul-africanos

Toda garrafa de vinho sul-africano deve ser etiquetada com o selo oficial acima (Wine & Spirit Board). Os números expressos nestes selos são codificados, mostrando relação com a região de origem, tipo de uva e blend se for o caso, safra e o número de garrafas produzidas. Há também um outro selo de sustentabilidade, por hora alternativo, certificando a preocupação da vinícola com o meio ambiente e por conseguinte, a utilização de métodos e procedimentos compatíveis com relação ao cultivo e à vinificação.

Voltaremos a este belo país vinícola oportunamente com mais vinhos.

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: